Quando falamos sobre como não passar frio em acampamentos ou atividades ao ar livre, em temperaturas mais baixas, normalmente a primeira explicação é sobre como se vestir em camadas, que é uma das formas mais eficientes de manter-se aquecido. Mas existem muitas outras pequenas dicas que podem fazer toda a diferença. Algumas dicas são mais óbvias, outras menos. O importante, como já dissemos no artigo 25 dicas para acampar e não passar frio, é: se a previsão é frio, prepare-se para ele! Nunca subestime o frio!

1. Sistema de camadas

Essa é uma técnica muito usada por quem pratica esportes ao ar livre. Existem basicamente três camadas. A primeira é aquela que fica em contato direto com o corpo e tem a função de manter sua pele seca – deve ser em um tecido sintético, facilitando a transferência do suor para a parte externa. A segunda camada tem a função de manter seu corpo quentinho – normalmente um material bastante adequado para isso é um blusão de fleece. A terceira camada é aquela que mantém o corpo a salvo das intempéries externas, bloqueando o frio e a chuva – são normalmente casacos e jaquetas impermeáveis.

Dica de Artigo: Para saber mais detalhes sobre como se vestir em camadas, você pode conferir esse ótimo artigo do Blog Ataque ao Cume, com mais explicações e informações técnicas. Bom para quem quer se aprofundar mais no assunto.

Dica de Vídeo: Nesse vídeo da Trekking Brasil, o Mario faz uma ótima explicação sobre como fazer a composição das camadas para a parte do tronco, abordando algumas variações.

2. Segunda pele (primeira camada: underwear, base layer, etc…)

Como citamos antes, é a primeira camada do sistema de camadas. Sua função é manter o corpo seco, facilitando a evaporação da transpiração. É uma das peças fundamentais para quem realiza atividade ao ar livre. É importante que ela fique justa no corpo para que ela consiga desempenhar a função de afastar a unidade do corpo para fora. Alguns modelos ainda possuem tratamento antibactericida, que evita a proliferação de bactérias e de odores provenientes da transpiração. Algumas ainda são feitas com tecido que promete ter a capacidade de manter a temperatura corporal evitando que a pessoa passe frio ou calor com ela. Existem segundas-pele tanto para a parte do tronco como para as pernas.

lady-rachela-hi-tec

3. Calças

O sistema de camadas pode ser reproduzido na parte das pernas com diferentes tipos de calças, mas você raramente usará mais que duas camadas nas pernas. Há calças segunda pele que podem ser usadas por baixo da “calça externa”, para manter o corpo seco e aquecido.

Essa calça externa pode ser uma de jeans, tactel, ou até uma impermeável, dependendo da situação que você for encarar. Há também calças de fleece, assim como os blusões. Elas são pouco práticas para serem usadas como camada externa, mas são uma ótima opção para você dormir no acampamento (com uma calça quentinha e confortável), que pode ser usada sozinha ou em situações de frio sobre a segunda pele.

Dica de vídeo: Ótimas dicas sobre quais calças utilizar, em situações de frio, você pode ver nesse vídeo super explicativo da Trekking Brasil.

4. Blusão (camada de aquecimento)

Por cima da segunda pele, vem a camada que irá aquecê-lo. Quando se fala em sistema de camadas, a camada de aquecimento praticamente é sinônimo de fleece (que pode ser blusão ou casaco). Um blusão de fleece é um bom investimento: prático, confortável, quente e não muito caro. Mas se você (ainda) não possui um, uma alternativa é um blusão de lã mesmo. Se o frio for muito intenso, abuse e leve dois: um mais apertadinho e um mais solto, e vista um sobre o outro.

5. Colete (camada de aquecimento)

Apesar de não ser uma peça de roupa tão comum, é uma excelente alternativa para ser ou compor a segunda camada, mantendo o tronco aquecido e sem perder a mobilidade. Pode ser usado como uma camada de aquecimento diretamente em cima de uma segunda pele ou ainda sobre uma blusa de fleece ou lã, se estiver mais frio. O colete dá uma boa liberdade de movimentos, esquenta o tronco e não dá a sensação de estar “entrouxado” demais.

colete-moraine-vest-hi-tec

6. Casaco não impermeável (camada de aquecimento)

Junto com os dois itens citados acima, um casaco não impermeável pode compor a camada de aquecimento. Ele pode ser feito de diversos tecidos e ainda ter preenchimento interno ou mais de um tipo de camada no seu interior. Em situações onde não há necessidade de um casaco impermeável, ele pode vir a ser a camada externa. Em situações em que um casaco impermeável está presente, ele fica como um auxiliar de aquecimento, ou ainda pode ser dispensável.

jaqueta-alpine-start-down-hi-tec

7. Casaco impermeável (camada impermeável)

Faz parte da terceira camada, ou melhor, é a própria terceira camada. Um casaco impermeável é item essencial! Quando está frio, uma coisa com que você precisa se preocupar, acima de tudo, é manter seu corpo seco. Um casaco impermeável pode ter a função de evitar que a água passe para as camadas internas e pode ainda, dependendo do produto, ter a função de aquecer, auxiliando ainda mais na camada de aquecimento. Apesar de ser um equipamento caro, é um importante investimento. Se você costuma não só acampar mas também realizar atividades outdoor, vale a pena investir em um que, além de impermeável, também seja respirável e permita que seu suor evapore.

jaqueta-jocco-anorak-hi-tec

8. Capa de Chuva (camada impermeável)

Ter algo que mantenha você seco é 100% primordial! Claro que, se você já possui um casaco impermeável, a capa de chuva pode ser dispensada. Mas se você (ainda) não possui um casaco impermeável, leve sempre uma capa de chuva! Pode ser uma melhorzinha ou até aquelas descartáveis que são vendidas em saquinhos. Vale a regra, se você ainda não tem um casaco impermeável, qualquer capa de chuva é melhor que capa de chuva nenhuma.

Conselho: Um casaco impermeável é um agasalho caro, mas um dos investimentos mais indispensáveis! Invista em comprar um bom e ele poderá durar por muitos e muitos anos.

9. Meia-calça

Especialmente para as mulheres, são uma boa alternativa para a segunda camada, para a parte das pernas. As meias-calças mais grossas conseguem evitar bastante a perda de calor. Se você for usar em atividades outdoor, priorize as de nylon, que também facilitam a evaporação do suor. Outra dica é cortar fora os pés dela, para que ela fique com uma funcionalidade semelhante a uma calça.

10. Polaina

Já tiveram seu momento de glória em outros tempo, mas atualmente podem ser novamente encontradas à venda em algumas lojas. A dica da polaina é especial para ser usada de noite ou quando você vai fazer uma trilha em um dia frio. Não pense nela como um acessório de moda e dispa-se dos preconceitos das polainas coloridas da década de 80! Em suas aventuras, elas podem ser usadas como um acessório excelente especialmente quando você começa alguma atividade no frio e sabe que vai esquentar ao longo do dia. Ela pode ser usada de duas formas, dependendo do tipo de calça que você costuma usar. Mas para ela ter o efeito de diminuir a perda de calor da perna, é importante que fique justa na pele.

Por cima: Se você curte fazer atividades com uma calça mais justa, tipo legging, a polaina pode ser usada por cima da calça. Estique-a sobre a panturrilha para aquecer a parte de baixo da perna. Se você começar a sentir calor, vá baixando-a até a canela. Quando ficar quente demais, simplesmente tire ela!

Por baixo: Se você costuma usar uma calça mais solta, de tactel ou outro tecido mais leve (e menos quente), como as calças-bermudas por exemplo, a dica é colocar a polaina por baixo, esticada e grudada na pele para aquecer. Alternativa: se você não tem ou não quer comprar uma polaina, uma alternativa pode ser usar apenas o cano de uma meia de cano longo (de lã, ou até mesmo de futebol). Corte o pé fora, dobre e faça uma bainha, para ela não se desfazer onde você cortou, e use isso como se fosse uma polaina!

Polainas estão longe de ser um equipamento altamente tecnológico e inovador, mas podem ser um excelente quebra galho para aquecer as pernas (parte delas) em dias mais frios. O legal da polaina é que você pode tirá-la a qualquer momento, diferentemente de quando você estiver usando uma meia-calça ou segunda pele.

11.Gorro

A primeira coisa que vale é desfazer o mito de que perdemos mais calor pela cabeça do que por outras partes do corpo; a ciência mesmo comprova que isso não é verdade. Mas é sim importante mantê-la aquecida com algum tipo de proteção, especialmente se você possui pouco ou nenhum cabelo. É difícil alguém sentir frio na cabeça, de fato, mas quando está frio, ao colocar um gorro nela, a sensação de conforto é tão aprazível que você não consegue mais tirá-lo. Os gorros, de fleece ou de lã, esquentam bastante. Dê preferência para um que cubra bem as orelhas, especialmente se estiver ventando.

Boné: Se você curte usar boné ou chapéu, eles também podem ser alternativas. Normalmente, dependendo do material que são confeccionados, podem aquecer mais ou menos. Essa não costuma ser a finalidade deles, mas melhor que nada!

Ecohead / Breeze: Outra alternativa são os ecohead ou breezes que, apesar de serem de um material mais fino, também podem ser transformados em gorros, não tão quentinhos como de lã ou fleece, mas também eficientes.

Balaclava: É ideal para uma situação de frio extremo, especialmente para situações de vento. Protege cabeça, pescoço e rosto, tudo em um único acessório, mas pode ser um pouco desconfortável se você não está acostumado.

12. Manta (cachecol)

Manter o pescoço aquecido é algo essencial e ajuda a manter todo o corpo mais quente. Não é um equipamento indispensável, especialmente se suas roupas (blusão ou casaco) já possuem gola alta ou dobrável, que possa ser esticada para proteger o pescoço. No entanto, se estiver com muito vento, uma manta sempre traz um conforto extra. As de fleece são especialmente confortáveis, mas normalmente não são muito grandes e protegem especificamente o pescoço. Eventualmente é legal ter uma maior de lã ou outro tecido, que pode vir a ser útil como uma pequena coberta em qualquer situação de mais frio.

Pescoceira (ou protetor de pescoço): Tem uma função semelhante à da manta: manter o pescoço aquecido. Alguns podem ser transformados também em gorro. Os equipamentos multifuncionais, como ecohead ou breezes, também podem ser usados como pescoceira, mas por serem de um tecido muito mais leve e fino, são menos eficientes no aquecimento do que uma pescoceira de fleece, por exemplo.

casaco-manta-gorro-hi-tec

13. Luvas

Por serem extremidades do corpo, as mãos (assim como os pés) sentem mais frio quando cai a temperatura. Esta sensação de frio se dá pois, quando esfria muito, o corpo procura concentrar o fluxo de circulação sanguínea na região dos órgãos vitais. Com isso, o fluxo de sangue nas extremidades é desviado para a parte central, fazendo com que sintamos frio nesses locais.

Há luvas de todos os tipos: fleece, lã, de ciclista, impermeáveis etc. Se você vai comprar uma, é legal identificar alguma que se adeque às suas necessidades. Considere que, se você não vai para uma situação de frio extremo, o melhor é optar por luvas que não sejam de material muito grosso; quanto mais grossa a luva, menor a sensibilidade e a mobilidade nos dedos. Se o frio não for tão intenso e você se incomoda em perder o tato, considere aquelas que mantém as pontas dos dedos do lado de fora. Mas, na hora do frio, qualquer luva é melhor que luva nenhuma. Se não quiser investir nesse acessório, leve para o acampamento o que você tiver em casa.

14. Meias

Por serem uma extremidade, assim como as mãos, seus pés merecem atenção especial. Você pode usar meias normais, meias de lã ou tecnológicas que evitam bolhas, que mantêm seu pé seco e aquecido e que facilitam a circulação. Há opções para todos os gostos. Há até meias “segunda pele”, que são consideradas uma primeira camada, feitas para serem usadas por baixo de outras meias. Nesse artigo não vamos entrar nessas especificações.

Pés secos:  Muitas vezes, quando estamos realizando atividades outdoor, os pés acabam ficando molhados por causa do suor, da chuva ou porque precisamos meter ele na água. O principal conhecimento é que, em uma situação de frio, uma coisa que você não pode fazer, em hipótese alguma, é dormir com os pés úmidos. Por isso, uma dica excelente é, antes mesmo de fazer a mochila, colocar dentro do saco de dormir um par de meias limpas e secas. Coloque ela lá e esqueça disso. Você só vai vesti-la de noite na hora de dormir. Você vai abrir seu saco de dormir e vai ter lá uma meia limpa e sequinha para passar a noite. Se o frio for muito extremo, programe-se para deixar duas ou três meias a salvo no saco de dormir. No dia seguinte, tire a meia de manhã e enrole de novo dentro do saco de dormir. Use as meias sujas e xexelentas para passar o dia e saiba que de noite terá novamente aquela meia limpa e seca esperando por você no saco de dormir.

15. Tudo (e ao mesmo tempo)

Durante o dia, enquanto seu corpo está aquecido, realizando atividades, você pode não sentir tanto frio, mas de noite na sua barraca, quando seu corpo entrar em estado de repouso, você poderá começar a sentir frio. Se isso acontecer, deixe a preguiça de lado e comece a vestir tudo que você tiver. Isso mesmo, de noite, na hora H, quando o frio bater, deixe de lado as modas e as combinações. Simplesmente obedeça a regra de que, quanto mais roupas, maior o isolamento do seu corpo e menor a perda de calor do corpo. No desespero, coloque tudo; isso pode evitar que seu frio evolua para um estado de hipotermia.

equipe2


Resumindo: Isso tudo é muita informação, e comprar tudo que é tipo de roupa para não passar frio é caro, muito caro. Por isso, aqui damos a seguinte dica: se você tem interesse em começar a se equipar e investir em roupas, podemos dizer que as duas coisas mais importantes são uma segunda pele e um casaco impermeável – que no sistema de camadas seriam a primeira e a terceira camada, respectivamente. Comece por esses 2 itens e depois vá pesquisando mais e vendo o que se adequará mais às suas necessidades.

Vale comentar: Uma coisa é certa: a partir do momento em que você começa a usar roupas desenvolvidas especialmente para atividades outdoor, você vai começar a perceber a diferença. Hoje em dia existe uma indústria altamente especializada pesquisando e produzindo tecidos cada vez mais tecnológicos, que fazem o suor evaporar, que são impermeáveis, que não amassa, que evita atritos, que seca rápido… Algumas parecem até que fazem mágica! Se você não conhece muito dessas tecnologias, vale pesquisar um pouco antes de comprar, para escolher a roupa mais adequada para o que você precisa.

Você pode ir para uma aventura com meia de algodão, calça jeans, camiseta de algodão, blusão de lã e capa de chuva descartável. Você pode fazer isso ou porque não tem condições de investir em algo mais técnico, ou porque não tem interesse em investir em roupas mais tecnológicas. O que não pode é você se achar um aventureiro e não saber que hoje em dia existem roupas técnicas adequadas para cada situação.

Fotos: Gustavo Trindade


Atenção! Você curte nosso site e nosso trabalho? Curte as dicas e conhecimentos que produzimos? Então pedimos que você colabore fazendo uma pequena doação, o quanto você puder pagar... Essa é uma forma de manter nosso site funcionando. Qualquer valor para nós faz toda diferença para ajudar a manter o site no ar. Para doar apenas Clique no Botão abaixo!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMinas Outdoor Sports
Próximo artigoPesquisa Institucional de Conteúdo
Porto-alegrense, mochileira, campista e formada em turismo. Um dia ela resolveu unir todas suas paixões: natureza, viagens, campismo, biologia, geologia, turismo e se tornou co-fundadora deste site.